Novidade

Você já ouviu falar em Intraempreendedorismo?

07.10.2020

Vamos entender juntos como o Recursos Humanos (RH) pode aplicar esse conceito no negócio. Atualmente, as empresas buscam em seus colaboradores o sentimento de dono e estimulam que cada um alcance seus propósitos individuais por meio do trabalho. Entretanto, na busca de alcançar esses propósitos, muitos colaboradores deixam suas atuais empresas por não conseguirem vislumbrar encarreiramento e acabam redesenhando suas profissões, empreendendo em novos desafios, por vezes de forma autônoma. 

Essa rotatividade de profissionais podemos entender como perda de capital intelectual, o maior ativo dos novos negócios. Como forma de reter esses profissionais e garantir que a empresa continue se reinventando, setores como o de RH tem investido no estímulo ao empreendedorismo interno. Mas como aplicamos esse conceito na prática? Você pode estar se perguntando. Estratégias que movimentam a cultura de inovação, criando ambientes seguros para propor novas ideias, melhorias incrementais aos processos internos, desenvolvimento de novos produtos e serviços ou até mesmo estruturando equipes em formato squads, tem se mostrado eficientes soluções no aumento da produtividade de times. 

Para garantir que o intraempreendedorismo seja assertivo, minha dica é que a empresa estruture bem seus processos de desenvolvimento de pessoas por meio de uma cultura de feedbacks, plano de sucessão, avaliações de desempenho, entre outros. Isso garantirá uma equipe alinhada às suas expectativas e a visão do negócio, evitando o desalinhamento entre as partes. 

E qual o papel do colaborador? É buscar adquirir uma visão sistêmica do negócio, identificando a origem e finalização dos processos, estudando a causa raiz e a solução dos problemas. Aperfeiçoando soft e hard skills e não responsabilizando apenas a empresa pelo seu sucesso na carreira. O compromisso é de ambas as partes, vamos construir juntos! 

Por Rafaela Dantas, gestora de RH da Gentil Negócios.